Anti-Desânimo: Dez Livros Que vão Querer Devorar

Já sabemos todos que temos de ficar em casa. O mundo está em guerra e, para podermos vencer, precisamos de abraçar isto do isolamento social, por umas semanas – talvez meses. Por mais que estejamos conscientes da necessidade de clausura, tal não a torna mais fácil. O que, de facto, pode ajudar é um bom livro! E por isso, trago-vos uma lista, preparada com muito carinho, de livros que vos vão, certamente, entreter nesta época tão excepcional.

Não se tratam de livros especialmente densos ou, sequer, realistas. O objetivo não ficar a pensar na vida ou nos grandes dramas da humanidade. Se nem numa situação normal conseguimos respostas, também não será agora, de pijama, no sofá e com filipinos à frente, que o faremos. O que precisamos, sim, é de nos abstrair e manter o ânimo para que possamos voltar a ver os que amamos, sem grandes sequelas mentais – para além das que já temos.

Assim sendo, a todos os interessados, recomenda-se:

  • Os Pilares da Terra de Ken Follett – Ken Follett não é, para mim, um autor muito linear. Na sua obra, encontramos livros absolutamente extraordinários, como a Trilogia do Século, e outros, banais, como O Terceiro Gémeo. Dentro do primeiro grupo, está Pilares da Terra, um romance histórico arrebatador centrado no século XII, em Inglaterra, onde um pedreiro persegue o sonho de edificar uma catedral gótica, digna de tocar os céus. À volta de tão ambiciosa demanda, surgem várias personagens carismáticas com os seus próprios objetivos, anseios e jogos de poder. Viciante desde a primeira palavra!
  • Trilogia Millenium de Stieg Larsson – Se gostas de trillers e pretendes hibernar nos próximos dias, esta trilogia nórdica é escolha obrigatória. Incrivelmente negros e imaginativos, os três livros – (1) Os Homem que Odeiam Mulheres; (2) A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo e (3) A Rainha do Palácio das Correntes de Ar – são protagonizados por uma hacker irreverente, mas perigosa, e um jornalista caído em desgraça. Juntos procuram desvendar os mais macabros crimes, ao mesmo tempo de lutam contra os seus próprios demónios. Não se assustem com o tamanho! Pessoalmente, li os três volume numa única semana!
  • Duas Irmãs, um Rei de Philippa Gregory – Fãs de ficção histórica e escândalos reais, regozijem-se: Philippa Gregory é a autora que vocês procuram. Duas Irmãs, um Rei conta a história das imãs Bolena que, no século XVI, disputaram a atenção e o amor do Rei Henrique VIII. Intriga política, conspirações e sordidez são as palavras de ordem neste romance que, não obstante a ficção, radica numa sólida investigação da Autora.
  • Qualquer livro de Daniel Silva protagonizado por Gabriel Allon – Espionagem, vingança e ação são os ingredientes desta coleção do luso-americano Daniel Silva. A narrativa centra-se em Gabriel Allon, um agente israelita da Mossad que, nos tempos livres, dedica-se à restauração de obras de arte. Nos primeiros volumes da coleção, Gabriel procura vingar os seus antepassados, caçando e julgando nazis que escaparam a Nuremberga. Nos seguintes, as aventuras percorrem o Médio Oriente e a Rússia numa clara referência aos inimigos de Israel.
  • O Talentoso Sr. Ripley de Patricia Highsmith – Patricia Highsmith é a grande criadora do romance policial psicológico e Tom Ripley é o personagem de referência da sua obra, um dos mais “negros” do policial do pós-guerra, “um homem que não reconhece a culpa em qualquer circunstância”, segundo as palavras da escritora. Por isso ela lhe dedicou toda uma série de livros, que começa justamente com “O Talentoso Mr. Ripley”.
  • Dracula de Bram Stoker – Para os que adoram fantasia e terror. Esta é a história do vampiro mais famoso do mundo que, se aproveitando da vida de um jovem advogado, parte da Transilvânia para Londres, onde procurará o poder, seduzindo damas e matando quem se puser no seu caminho. Exponente do movimento gótico, este é um livro inesquecível que, tendo conquistado milhares de leitores, mereceu uma adaptação cinematográfica genial pelas mãos de Francis Ford Coppola.
  • Chama-me pelo teu Nome de Andre Aciman – Este é para os mais românticos. A história do primeiro amor de Elio que, no verão de 83, conhece Oliver, um estudante, mais velho, americano que vai passar o verão a sua casa. Numa pequena vila italiana, os dois vivem um romance delicado, terno e extremamente comovente. Narrado por Elio, o livro transmite, com realismo, os anseios, desilusões e dores do primeiro amor, transportando o leitor numa viagem incrível que, certamente, lhe trará memórias felizes. Em 2017, teve direito a adaptação cinematográfica pelo realizador italiano Luca Guadagnino.
  • A História Secreta de Donna Tartt – Numa universidade de elite em Vermont, um jovem desajustado tenta integrar a exclusiva turma de grego clássico do renomado professor Julian Morrow. Quando finalmente o consegue, percebe que os seus colegas de turma não são tão brilhantes e etéreos como parecem e, por detrás da intelectualidade, escondem fortes intrigas que levarão ao homicídio quase perfeito. O primeiro romance de Donna Tartt dividiu a crítica. Se por um lado, houve quem achasse The Secret History uma estreia pujante é excitante, por outro, não faltou quem o considerasse um romance pretensioso e, até, pedante. Tartt escreve com mestria fazendo-nos sentir acidentais ouvintes de confidências alheias. Este é um relato íntimo e minucioso que explora a jornada de cinco jovens, incrivelmente carismáticos, na sua devoção pela Antiguidade Clássica e na luta pessoal contra o crime horrível que cometem. Para os fãs de clássicos e thrillers.
  • Os Crimes da Rua Morgue e outros Contos de Edgar Allan Poe – Para quem não se vê a ler um livro inteiro, os contos são uma opção. Recomendo, por isso, os contos magníficos de Edgar Allan Poe. Tenho a certeza que será uma experiência literária espantosa na medida em que os seus enredos são originais, a escrita inteligente mas simples e os personagens carismáticas… especialmente um tal de Auguste Dupin que me fez lembrar um senhor chamado Sherlock Holmes. 
  • Kafka à Beira-Mar de Haruki Murakami – Murakami é, indubitavelmente, o meu autor contemporâneo favorito. Com uma obra que reúne elementos do realismo fantástico, o autor japonês apaixonou-me desde o meu primeiro contacto com os seus livros. Kafka à Beira-Mar, um dos meus livros favoritos do Autor, narra as aventuras do jovem Kafka Tamura e do velho salvador de gatos abandonados Sotoru Nakata. Aos 15 anos, Kafka foge de casa para escapar a uma profecia negra lançada pelo seu pai. Simultaneamente, Nakata vive várias aventuras na sua demanda para encontrar gatos desaparecidos. Os caminhos destes dois personagens acabam por se cruzar e assim nasce uma estranha amizade. Em Kafka à Beira-Mar, conhecemos as personagens mais inusitadas e animais que falam. A escrita de Murakami é profundamente delicada e criativa fazendo o leitor sonhar e envolver-se no seu mundo fantástico.

Assim terminam as minhas sugestões anti-desânimo. Espero que estejam todos bem, assim como os vossos familiares e amigos. Correndo o risco de soar clichê, não deprimam e tentem aproveitar isto da melhor forma, com a consciência de que Estamos todos juntos.

Boas Leituras!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s