Pela Liberdade, Sempre: breve memorando pessoal sobre a censura

É 25 de abril. As grandes datas são assim. Não precisam de discretivos ou subtítulos. É 25 de abril e isso, por si só, é suficiente para sabermos que estamos perante uma das datas mais importantes da história Portuguesa e um dos momentos de maior orgulho nacional. Os nossos pais e avós derrubaram um regime que não lhes servia e, com isso, criaram um Estado livre e democrático onde a voz de todos é ouvida. E no dia em que se celebra a liberdade, resolvi escrever sobre censura – essa arma terrível que condicionou profundamente todas as formas de produção intelectual, cultura e política, em Portugal, durante o Estado Novo.

E quando descobrimos que os nossos admirados são pessoas execráveis? A polémica de Enid Blyton e outros que tal…

Para quem não conhece a escritora britânica, a Enid foi autora das aventuras de “Os Cinco”, de “Os Sete” e pelo amigo de infância de várias gerações “Noddy” sendo inegável o seu impacto na vida de inúmeros leitores espalhados pelo globo, incluindo Portugal. Pessoalmente, nunca li os seus livros mas cresci a ver a adaptação televisiva do Noddy sendo que também eu me considero uma das suas influenciadas.